segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Retrospectiva 2012.

Sem clichês, é o meu propósito.. mas, não tenho como negar que este ano foi de muitos aprendizados. Sentimental, profissional, emocional e muitas outras palavras terminadas em 'nal'. Foi um ano que certamente ficará pra sempre marcado em minha memória.
Eu nunca soube o que era viver verdadeiramente tranquila, afinal, não sou o tipo de pessoa que vive sem preocupações e que realmente não tem com que esquentar a cabeça, mas veja bem, esse ano..
Neste ano eu aprendi a lidar com acontecimentos estranhos, dolorosos, trágicos e inaceitáveis. Eternizei em mim pessoas que me levantaram quando eu cai e passei a enxergar com mais cuidado e cautela aqueles que estavam nem ai se eu ia conseguir levantar ou não. Me familiarizei com hospitais, dores, choro, morte. MORTE! Posso dizer que vi a morte na minha frente. Em momentos achei que não fosse dar nada certo. Achei milhares de vezes que eu não ia suportar tanto sofrimento.
Eu nunca duvidei do Poder. E sempre soube que o propósito era grande na vida de minha família. Mas em 2012 eu aprendi que a fé vai além das palavras. E que é quando tudo parece estar perdido que Deus age. Antes de qualquer coisa eu quero agradecer a Deus por cada lágrima, por cada pedido de ajuda, por cada notícia boa, por cada melhora, pela felicidade da vitória. Metade do ano eu vivi aflita, com medo, receio. Eu vivi em função de uma única pessoa, sem nem ao menos lembrar que eu existia. Foram 6 meses eternos em mim. E eu afirmo, não há nada mais íntimo que a dor, é com ela que vem as maiores lições, os melhores agradecimentos.
A outra metade foi de alívio, de suspiros longos e de muitos agradecimentos.
Deixei a família na qual passei 4 anos intensos de muita luta. Foi muito triste ter que acordar e não mais vê-los todos os dias. Mas foi um passo importantíssimo pra mim. Hoje eu afirmo que ganhei mais uma família. Foi um presente! Atuar na minha área, ser reconhecida pelo que faço, aprender todos os dias coisas novas, tem sido um desafio bom demais. E tem me preenchido de forma ímpar.
Foi em 2012 que eu me descobri fazendo coisas que eu não imaginei fazer. 'Deixei' pessoas que eu não imaginei deixar. Conheci pessoas legais. Mantive as poucas e boas amigas que fizeram parte de mim desde sempre. Engordei pra fazer jus aos 5 quilos que eu sempre sonhei. Foi um ano feliz, enfim.
Tudo foi válido, apesar que várias vezes eu desejei que ele acabasse logo. Me superei em vários aspectos. Me refiz em meio aos cacos. Defendi minhas razões com unhas e dentes. Me arrependi de muita merda. E o melhor: me fiz nova em folha pra encarar tudo que ainda vou passar.
Não tenho nenhum pedido específico para 2013, a não ser os mesmos de sempre: saúde pra minha família, paz e força para enfrentar as mazelas que nos cercam. Agradeço a todos que passaram mais um ano ao meu lado aqui no meu canto. Um feliz 2013 a todos!

"Chego ao finzinho do ano exausta, confesso, mas orgulhosa de mim, apesar de"
 
 
 
/Thamires Figueiredo.
 
 


Um comentário:

Roberta Hitler disse...

Sem pesares! Tudo vale, não vale!?