quinta-feira, 15 de agosto de 2013

Frustração.

Descobri que não é pelas pessoas que dão conselhos que a sociedade dá valor. A gente se importa o tempo todo, se preocupa, tenta ajeitar a bagunça alheia e o nem um 'obrigado' a criatura é capaz de te dá. Parei pra analisar e percebi que as pessoas se interessam apenas pelo lado fácil da coisa, pelo superficial, por um(a) companheiro(a) que simplesmente prefira não se manifestar em nada relacionado a sua vida. Preciso parar com essa mania de entrar na vida das pessoas e querer consertar todos os erros. Bem que me diziam que para que algo mude, a pessoa tem que querer verdadeiramente, não da boca pra fora, não pra satisfazer os outros. Essa história de que ninguém muda por ninguém é velha, né?! É que lá no fundo a gente sempre acha que pode ter um pouquinho mais de esperança. É tanto que me dispus a transparecer no último olhar a milésima tentativa, que pra minha frustração nem foi notada. 
 
Aprendi que em diversos casos, não me cabe fazer o bem, apenas não faço o mal. Nem todo mundo entende e reconhece gestos nobres.
 
 
 
 
/Thamires Figueiredo.

Um comentário:

Aline Teles disse...

É um fato que tu disseste. A pessoa só munda se ela tiver predisposta para isso. Caso contrário, por mais que tu faças... de nada adiantará. Beijos.