terça-feira, 22 de maio de 2012

sobre viver.

Não se trata de pirraça, egoísmo, raiva ou orgulho. Não significa briga, desentendimento ou discussão. É que a gente diz tantas vezes que vai mudar, só fala e no final permanece no mesmo estado. Mas as vezes dá tão certo que mudamos e nem nos damos conta.

Ter um conceito sobre uma coisa/pessoa e mais adiante você perceber que aquilo tudo não era do jeito que você imaginou, é de uma decepção sem tamanho. Acontece que as coisas não são mesmo do jeito que a gente quer, arrisco dizer que seria muita prepotência de minha parte querer um mundo assim. Entretanto, eu que tanto me indignei pela falta de palavra/compromisso que as pessoas tem com o próximo, hoje permaneço estagnada diante de uma sociedade hipócrita. Prefiro parar e analisar se vale a pena seguir por esse caminho, do que continuar só pra dizer que é forte e não foge da luta.

Não gosto de mudanças, assumo. Mas mudei sem culpa, foi extremamente preciso. E no final, restou apenas aquelas perguntas que não saem da cabeça:


Se eu amo e sou correspondida, por quê me fazem sofrer? Que amor é esse que joga algo em cima de você, te machucando e te fazendo recuar?!




/Thamires Figueiredo.






6 comentários:

Gisele Macedo disse...

O amor não explica nada. Nunca explicou.
O amor não move montanhas como costumam dizer, como todo mundo ja acreditou mover.
O amor falha. O amor cansa.
Cansa de passar por cima de erros, cansa de tentar entender o tempo inteiro.
É estranho perceber que mesmo com tanto amor, mesmo sem querer, pessoas podem se perdem.
Mas, amor verdadeiro de tão amor, também é isso.
É nunca mudar, é com tudo isso, nunca deixa de ser.
O meu, o nosso, tenha certeza.. Continua aqui!
Um beijo, se cuide.

Marcelo R. Rezende disse...

E, ainda bem, nós todos mudamos. Imagine que chato, depois de cinquenta anos de convivência, ninguém mudasse? Chato demais.
Eu gosto, e quero, justamente isso: que as coisas mudem, que assim a gente têm sempre sobre o que escrever.

Beijo, linda!

Flávio Augusto disse...

Amor... é difícil descrever esse sentimento tão raro nos tempos atuais, mas sei de mim e sei que aqui vive um sentimento bem vivo, as vezes incapaz de tomar decisões, de inciar mudanças repentinas, as vezes sozinho, as vezes orgulhoso e triste. Mas é desse amor que você com certeza vai poder contar pra todo o mundo que ele nunca falhou e nunca te deixou pensar que não é amada.
Esse meu amor que é todo seu e será pra sempre!
Te amo preta! :)))

Cynthia Brito disse...

Quem sabe se é amor demais né?

Obrigada pela visita, florzinha.
Bjs.

gabriela m. four disse...

Eu sou a favor de mudanças, mesmo as grandes que assustam a gente.
E se esse amor tá te machucando tanto, acho que tem alguma coisa errada, né? Procura saber, conversar... :*

Regi Lima disse...

nossa,achei muito lindo.
realmente vivemos em uma sociedade hipócrita,as vezes/muitas das vezes temos mesmo que analisar e ver qual caminho é o melhor.
beijos
http://mesmosefossecinza.blogspot.com/